Mais informações
BARTH, Fernando; VEFAGO, Luiz Henrique Maccarini; VASCONCELOS, Cláudia. Compacidade dos espaços arquitetônicos. Mix Sustentável, Florianópolis, v. 3, n. 1, p. 100-108, set./mar. 2017.
Clique no nome do(s) autor(es) para ver o currículo Lattes:







Resumo
O número de edifícios altos aumentou nos grandes centros urbanos, acentuando a densidade e o caráter urbano que configuram a maioria da população mundial, Nações Unidas (2015). Como um de seus resultados, pode-se observar um processo de verticalização das construções e uma redução significativa em áreas construídas per capita. Grande parte da população opta por uma unidade de habitação compacta, buscando uma boa localização com infraestrutura e serviços que podem aumentar a qualidade de vida. Esta verticalização pode aumentar a compacidade das unidades habitacionais e otimizar os custos, mas também pode reduzir a funcionalidade arquitetônica. Nesse contexto, o índice de compacidade é permite avaliar quanto o projeto de um espaço pode estar próximo do perímetro econômico determinado por suas paredes externas. Este trabalho procura mostrar que a compacidade deve ser analisada de forma tridimensional, uma vez que determina o desempenho do espaço interno, estabelecendo um método para determinar o índice de compacidade espacial. Os resultados mostram que espaços pequenos e compactos tendem a induzir conflitos de uso, requerendo um projeto detalhado que permita adaptar usos diferentes e simultâneos às novas necessidades e perfis dos usuários contemporâneos.


Abstract
The number of high buildings has increased in large urban centers, accentuating the density and the urban character that configure the majority of the world population, United Nations (2015). As one of its results, it can be seen a verticalization process of buildings and a significant reduction in per capita constructed areas. Much of the population opts for a compact housing unit, seeking a good location with infrastructure and services that can increase the quality of life. This verticalization process can increase the compactness of the housing units and optimize costs, but also can reduce the architectural functionality. In this context, the compactness index is one of the most useful indicators to evaluate how much the design of a space may be close to the economical perimeter determined by its external walls. So, this work seeks to show that the compactness must be analyzed in a three-dimensional way, since it determines the performance of the internal space, establishing a method for determining the spatial compactness index. The results show that small and compact spaces tend to induce use conflicts, requiring a detailed design that allows simultaneous and different uses to be adapted to the new needs and profiles of contemporary users.